Valores

Os 5 sentidos e reflexos do recém-nascido


Ao nascer, os bebês apresentam um estado de hipertonia nos membros e hipotonia na cabeça e no tronco. O desenvolvimento sensorial do recém-nascido é medido através dos sentidos: audição, visão, paladar, tato e olfato.

Nem todos os sentidos nos bebês estão igualmente desenvolvidos, de modo que em cada um encontraremos diferenças que marcarão sua evolução nas diferentes etapas do bebê.

Audição. O recém-nascido percebe os ruídos, mas não os ouve. É muito sensível à intensidade, é acalmado pela voz da mãe, música doce e barulhos altos o despertam. Você ainda não conseguiu localizar a origem do som.

Visão. Nos primeiros dias o bebê fica de olhos fechados, ele dorme a maior parte do tempo. Suas pálpebras enrugam quando a luz muda ou quando há um ruído agudo. Você pode fixar em um ponto brilhante, mas só vê uma imagem borrada. Ele olha atentamente para o rosto da mãe, mas até os três meses não consegue diferenciar um rosto real de um desenhado.

Pode ser observado algum estrabismo quando um recém-nascido olha para um rosto, pois a coordenação dos músculos oculares ainda não está boa.

Gosto. Desde o nascimento, o sentido do paladar é altamente desenvolvido: o recém-nascido prefere o sabor doce ou açucarado ao ácido, salgado ou amargo. Se lhe trouxermos um dedo coberto de açúcar, ele o sugará e continuará a sugar quando o retirarmos. Em vez disso, ele fará uma careta com um dedo coberto de sal sem chupá-lo.

Toque.Para o recém-nascido, o toque é equivalente à linguagem. O contato com a pele (principalmente a de sua mãe) e o calor é um estímulo muito forte. Por meio da pele, a criança capta todas as vibrações da mãe e vivencia todos os sentimentos que ela proporciona.

Cheiro. Após vários estudos sobre o olfato em recém-nascidos, descobriu-se que o bebê faz caretas ao perceber um cheiro forte e desagradável.

Reflexo de preensão (preensão). A excitação da palma da mão do recém-nascido por um objeto determina a forte flexão dos dedos sobre esse objeto. Há também uma preensão do pé menos intensa.

Reflexo de sucção. A excitação dos lábios do recém-nascido resulta em um movimento rítmico de sucção, que é o reflexo de sucção.

Reflexo de endireitamento estático. A criança tem tendência a estender os membros inferiores ao exercer pressão na planta dos pés (principalmente no calcanhar). Essa reação desaparecerá por volta do décimo mês para reaparecer mais tarde em sua forma ativa, quando a criança conseguir se endireitar.

Reflexo da marcha automática. A excitação das solas dos pés do recém-nascido (ao pisar em alguma coisa), determina um movimento das pernas que lembra o andar.

Reflexo do Mouro (braços cruzados). Quando ocorre um golpe forte (bofetada), a criança separa abruptamente os braços e, em um segundo momento, coloca-os de volta no peito. O reflexo de Moor pode ser provocado de várias maneiras e também se manifesta pela mudança de posição.

Reflexão dos pontos cardeais. A excitação do canto dos lábios causa uma rotação da cabeça na direção da estimulação.

Alguns reflexos observados no recém-nascido que não desaparecerão permanentemente:

- Os soluços. Ato que é acompanhado por movimentos da língua e do maxilar inferior, interrompido por pausas. Bebês têm soluços.

- Bocejando. Traduz o cansaço do recém-nascido e a vontade de dormir.

- O espirro. Reflexo protetor adaptado ao sistema respiratório

- Engolir. Causado por contato com alimentos ao nível da faringe ou língua

Maria algumaeró
Especialista em crianças
Especialista em Intervenção Precoce
Blog Atencionycuñadosdelbebe.com

Você pode ler mais artigos semelhantes a Os 5 sentidos e reflexos do recém-nascido, na categoria Recém-nascido in loco.


Vídeo: Síndrome de West - Vinícius Bezerra Pinto (Agosto 2021).