Valores

O jogo de xadrez e as crianças


O xadrez é um jogo de estratégia profunda que requer concentração e habilidade do jogador. Os grandes enxadristas da história começaram a jogar xadrez desde a infância, então os pais que desejam que seus filhos joguem xadrez são recomendados para ensiná-los o mais rápido possível. Quanto mais cedo as crianças aprenderem, melhores e mais habilidades desenvolverão.

Uma criança pode começar a jogar xadrez a partir dos quatro anos. O jogo, para ele, pode ter diferentes finalidades: diversão e treinamento; concorrência; melhora da concentração, memória e criatividade; complemento à educação e à formação. Além disso, muitos benefícios do xadrez são reconhecidos nas áreas de desenvolvimento intelectual, habilidades e estado emocional.

Em termos de capacidade intelectual, o xadrez pode ajudar as crianças a melhorar:

- Atenção, concentração e memória.

- O poder de análise, síntese e organização.

- Capacidade de resolver problemas e tomar decisões sob pressão.

- Criatividade e imaginação.

- O raciocínio lógico-matemático.

E quanto ao inteligência emocional, o xadrez pode ajudar as crianças a aprender a:

- Ter controle emocional, sabendo como lidar com sucessos e frustrações.

- Ter um senso de transparência, sendo honesto e correto consigo mesmo e com os outros.

- Adapte-se a situações múltiplas e inesperadas.

- Esforce-se para alcançar o que propõe e aumente sua auto-estima e confiança.

- Para ter iniciativa.

- Ter empatia e compreender o adversário durante o jogo.

- trabalhar em equipe e colaborar.

A melhor forma de estimular e motivar uma criança é pelo exemplo, sem pressão ou obrigação. Se a criança vir alguém em seu ambiente jogando xadrez, sua curiosidade também lhe dará o desejo de aprender. A imaginação infantil é um elemento que pode contribuir muito para o aprendizado do xadrez.

Na verdade, é recomendável que seja explicado à criança o que o jogo realmente representa; algo assim no tabuleiro são representados dois reinos que lutam entre si para se defender do adversário e capturar o chefe do outro lado, que é o rei. As peças de cada lado se unem para apoiar umas às outras, defender seu rei e ao mesmo tempo lutar para capturar o rei do outro lado. A criança consegue aprender o movimento das peças e depois entender os tópicos táticos e superiores, mas tudo aos poucos:

- A primeira coisa é mostrar a ele o movimento das torres, que são as peças mais simples.

- Em seguida, o movimento do bispo, outra peça que se move com movimentos retos.

- Quando a criança tiver assimilado os movimentos dessas duas peças, ela poderá ser ensinada a mover a rainha, o rei, o cavalo e, por fim, o peão.

Ensine-o que o objetivo dessas preliminares não é o xeque-mate, mas capturar todas as peças. A habilidade da criança virá com prática e imaginação, até que ela chegue ao xeque-mate, que é a imobilização e captura do rei do oponente. Enquanto isso, a criança aprenderá a observar, comparar, adivinhar, investigar, analisar, sintetizar, decidir e executar.

Fonte consultada:
- "Desenvolvendo a inteligência através do xadrez", de José María Olías, Ed. Word.

Você pode ler mais artigos semelhantes a O jogo de xadrez e as crianças, na categoria Jogos no Site.


Vídeo: História e regras do XADREZ (Pode 2021).