Saúde

Calendário de vacinação infantil no México por idade


As vacinações São os tratamentos médicos de maior impacto benéfico para a saúde, pois previnem doenças, reduzem os custos com medicamentos e internações e reduzem os casos graves de doença e morte. Portanto, é muito importante vacine seu filho na idade indicada para cada vacina e administrar os reforços correspondentes. Se você mora no México, isso lhe interessa! Nós damos a você o Calendário de vacinação infantil no México por idade.

O México tem um carteira de vacinação muito aceitáveis, embora faltem alguns que estão nos planos de inclusão para toda a população (Varicela e Hepatite A), com os quais o esquema permaneceria entre os mais completos do mundo.

Um orgulho do ministério da saúde é o alto percentual de vacinação populacional, o que nos ajuda muito a ter cada vez menos de todas essas doenças que, como vocês verão a seguir, podem ter complicações fatais.

É importante aplicar todas as vacinas do esquema nacional de vacinação, uma vez que cobrem doenças diferentes. A seguir, falaremos com você sobre as vacinas oferecidas pelo setor de saúde gratuitamente a todas as crianças do México.

1. BCG (Tuberculose)
Tem esse nome, Bacilos de Calmette Gueruín, em homenagem aos pesquisadores responsáveis ​​pela criação desta vacina. Deve ser aplicado ao nascimento e não requer reforços. O principal objetivo da vacina é pproteger contra formas extrapulmonares graves de tuberculose, como meningite e tuberculose disseminada. Nos países em desenvolvimento, os casos diminuíram, mas ainda há risco de contágio.

2. Hepatite B
É aplicado ao nascimento e com dois reforços aos 2 e 6 meses. A importância da aplicação dessa vacina desde o nascimento é evitar a transmissão da mãe para o bebê, já que o contágio pode ocorrer durante o parto, então a vacina deve ser aplicada idealmente na unidade onde o bebê nasce.

Eles têm dois reforços, já que o vírus pode ser transmitido pelo leite materno, a mãe pode ser assintomática e ser portadora. A infecção pelo vírus da hepatite B causa infecções agudas e crônicas, que podem levar à insuficiência hepática.

3. Pentavalente acelular
Esta vacina é administrada aos 2, 4, 6 e 18 meses de idade. Tem esse nome porque é a conjunção de 5 vacinas em uma que são:

- Haemophilus influenzae B. Esta bactéria causa doenças ao nível do sistema nervoso central (meninges): pneumonia, pericardite e osteoartrite. Este vírus é responsável por doenças virais com sintomas inespecíficos, como dor de cabeça, febre, mal-estar, diarreia e dor de garganta, mas também pode causar sintomas neurológicos com forte dor de cabeça.

A maioria dos casos se recupera sem deixar sequelas, mas em 1 a 2% a sequela da paralisia pode permanecer com a complicação da lesão neurológica; se a lesão neurológica for no centro respiratório, pode ser fatal.

Foi erradicado do continente americano desde 1994, porém é muito importante continuar vacinando para prevenir essa doença, pois ainda existem países na África e na Ásia onde o vírus não foi erradicado e pode ser importado e causar uma epidemia. Esta vacina também protege contra três outras doenças: DPT, difteria, tosse fraca e tétano.

- Difteria Tem diminuído no mundo graças à vacinação, mas houve alguns surtos em 2000 na Colômbia com 12 casos e, em 2002, com 38 casos no Paraguai. É causada por uma bactéria chamada Corynebacterium diphteriae e cria uma destruição de tecido no nariz e na faringe que produz uma membrana; pode então ser absorvido pelo sangue e existe o risco de complicações com miocardite (inflamação do músculo cardíaco) e neurite (inflamação do sistema nervoso central).

A forma de manifestação mais frequente é a febre moderada e mal-estar geral e irritabilidade; Posteriormente, surgem na faringe e nariz as lesões características de membranas acinzentadas que podem invadir o sistema respiratório inferior, causando pneumonia e dificuldade respiratória. Os sintomas iniciais são muito inespecíficos e a doença pode estar avançada quando for clara a causa, daí a importância de preveni-lo com vacinação.

- Tétano é uma doença evitável por vacina, pois só ocorre em pessoas não vacinadas ou com esquema vacinal inadequado. Não há imunidade natural contra o tétano, portanto a forma neonatal ocorre em filhos de mães não vacinadas que nascem em más condições de higiene.

É causada pelo Clostridium Tetani, uma bactéria que produz toxinas, uma delas uma neurotoxina potencialmente letal. Ele Tétano Não é contagioso de pessoa para pessoa, mas é adquirido em locais ou instrumentos contaminados com esporos do bacilo do tétano.

Apresenta formas locais com contratura dos músculos locais afetados e a forma mais comum é generalizada em 80% dos casos, onde ocorrem contraturas de todos os músculos do corpo, afetando a deglutição e a mastigação.

As complicações mais sérias podem ser infecções do trato respiratório, disfunção respiratória devido a paroxismo dos músculos respiratórios (laringoespasmo), edema cerebral, flebite e fraturas. 500.000 pessoas morrem anualmente de tétano em todo o mundo.

- Coqueluche. Antes de 1940 era a principal causa de doenças graves e mortes em crianças, com a vacinação esse panorama mudou muito e para melhor.

Esta doença provoca quadros de tosse persistente por mais de 2 semanas, vômitos por tosse, hemorragias na conjuntiva do olho e pausas significativas na respiração, ainda atinge principalmente crianças de 0 a 4 anos. As complicações graves da doença são pneumonia ou lesão cerebral. A mortalidade geral é de 1 em cada 250 casos.

Para estas três últimas doenças - tosse convulsa, tétano e difterina - deve ser administrado um reforço DPT aos 4 anos de idade, para evitar a imunização parcial.

4. Rotavírus
o vacina contra rotavírus aplica-se aos 2, 4 e 6 meses de idade. Esta é a causa mais comum de vômito, diarreia e febre em crianças. Há estudos que sugerem que aos 5 anos de idade todos os indivíduos terão pelo menos uma infecção por rotavírus.

A mortalidade associada a essa doença é de cerca de 440 mil crianças por ano, a maioria no continente africano, na Ásia e, em menor proporção, em algumas áreas em desenvolvimento da América Latina. Na América Latina, anualmente, 30% das consultas de emergência por diarreia aguda em crianças menores de 3 anos são por essa causa.

5. Pneumococo
A frequência das infecções pneumocócicas ainda é muito alta e as principais complicações são a pneumonia e a meningite. Os fatores de risco para doenças invasivas são doenças crônicas, tabagismo, creche, acima de 65 anos. Também produz outra época de doenças como otite média, sinusite, conjuntivite e exacerbações de bronquite crônica.

O calendário de vacinação no México é: 2, 4 e 12 meses. No setor privado, outro reforço é oferecido aos 6 meses, reduzindo bastante o risco de doenças complicadas por esse organismo.

6. Influenza
É uma doença viral altamente infecciosa, mesmo com altas taxas de complicações e mortalidade em crianças muito pequenas, bem como em adultos mais velhos. As epidemias ocorrem de dezembro a março no hemisfério norte e de junho a setembro no hemisfério sul; nos trópicos e subtrópicos podem ocorrer durante todo o ano.

Este vírus produz epidemias anuais com alto índice de envolvimento na comunidade. Estima-se que 10% da população mundial sofra de infecção durante o período de circulação do vírus. As manifestações mais comuns são a gripe, ou seja, como um resfriado, mas com sintomas muito mais fortes e duradouros, sendo também responsável por diversos episódios de otite média.

A complicação mais grave e fatal é a pneumonia, que é mais séria e frequente nos extremos da vida, especialmente em idosos e em pacientes com diabetes.

7. SRP
Esta vacina cobre rubéola, sarampo e caxumba. Deve ser aplicada com um ano de idade e aos 6 anos, por isso muitos a conhecem como a vacina MMR.

8. HPV
A vacina do papilomavírus humano (HPV) protege contra os tipos desse vírus que são responsáveis ​​por causar o câncer cervical na maioria das vezes. Este vírus também está associado a outros tipos de câncer, como câncer vaginal, peniano, vulvar, anal, boca e garganta, e também é responsável por causar verrugas genitais.

O objetivo desta vacina é proteger contra o câncer, mas não trata esses cânceres depois de ocorridos. No México, é aplicado aos 11 anos de idade ou na quinta série do ensino fundamental e consiste em duas doses, sendo que a segunda é aplicada 6 meses além da inicial.

9. OPV
É um reforço da vacina da poliomielite, que é aplicada na pentavalente e tem como objetivo reforçar a anterior. É aplicado em campanhas nacionais de saúde até os 5 anos de idade.

Para ter uma boa cobertura e poder erradicar essas doenças do país e depois do continente e do mundo, o esforço do governo em fornecer vacinas é muito importante e é tão importante que as pessoas conheçam os benefícios das vacinas para que as aceitem e buscar ter todas as vacinas aplicadas e, assim, diminuir o risco de doenças.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Calendário de vacinação infantil no México por idade, na categoria Saúde no local.


Vídeo: Vacinas para COVID-19: o que podemos esperar? (Junho 2021).