Depressão

Os dados alarmantes de mulheres grávidas com menos de 25 anos com ansiedade e depressão


Nervosismo, alegria, ansiedade, tristeza, euforia ... Mudanças emocionais são comuns durante a gravidez pela alteração hormonal, mas também pelo momento muito especial que vive e pela grande aventura que a espera após os nove meses de gravidez. Com que idade a mulher está pronta para enfrentar tudo isso?

Muitos estudos tentaram encontrar a idade perfeita para conceber. Fomos surpreendidos por uma investigação recente que deu o alarme: dois terços das mulheres grávidas com menos de 25 anos mostrar sinais de transtornos mentais, como ansiedade ou depressão.

De acordo com este estudo, realizado pelo King’s College London e publicado no British Journal of Psychiatry Open, 67% das mulheres entre 16 e 24 anos quem carrega um bebê mostrou sinais de sofrimento em vários graus de algum tipo de transtorno mental. Esses dados são muito elevados se levarmos em conta os lançados por futuras mães com mais de 25 anos: esses sinais só foram detectados em 20% das mulheres, ou seja, uma em cada cinco.

Para chegar a esses dados, tivemos a participação de 575 mulheres londrinas, dos quais 10% tinham menos de 25 anos. Deve-se levar em consideração que as gestantes mais jovens têm maior probabilidade de apresentar alguma outra condição que as torne mais vulneráveis, por exemplo, não ter companheiro ou não ter emprego.

Embora os pesquisadores garantam que é preciso ter cuidado ao extrapolar as proporções para outros lugares, os números não podem passar despercebidos, pois são chocantes. Existem diferentes órgãos e serviços que se encarregam de atender as adolescentes grávidas, porém, este estudo mostra que apesar de já terem passado da adolescência, mulheres mais jovens ainda precisam de aconselhamento durante a gravidez.

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Granada, o estresse vivido por mulheres grávidas afeta o desenvolvimento do bebê que fica dentro da barriga, principalmente nos primeiros meses de gravidez. O responsável por tudo isso é o cortisol, o hormônio do estresse. Como a mãe o secreta, impede o bebê de liberar o hormônio de forma normal, o que afeta a maturação de seus pulmões. Muitas vezes, para corrigir esse problema, a mãe precisa receber corticosteroides.

Para evitar os problemas que o estresse pode causar ao seu bebê, recomendamos que você aprenda a controlar a ansiedade durante a gravidez. É um momento em que muitas mudanças ocorrem em sua vida e há muitas coisas que você deve levar em consideração. Portanto, as circunstâncias inevitavelmente o deixam nervoso. O importante é saber como controlá-los e gerenciar a ansiedade. Abaixo, coletamos algumas dicas que você deve manter em mente.

1. Antecipe
Tente evitar situações que você sabe que podem causar ansiedade ou estresse, tanto quanto possível. Por exemplo, se você sabe que dirigir o deixa muito nervoso, tente usar o transporte público.

2. Fale com a sua parteira
Muitas vezes, a ansiedade pode ser devida a todas as nossas preocupações: O bebê ficará bem? É a posição em que durmo em machucá-lo? Essa dor será normal? Uma forma muito simples de acabar com todas essas dúvidas e ficar mais tranquila é marcar uma consulta com a sua parteira.

3. Sua família pode ajudá-lo
Diga à sua família ou a um amigo de confiança como você se sente. Compartilhar suas emoções ajudará você a entendê-las, algo essencial para saber como gerenciá-las. Poderão fazer com que se sinta melhor, mas também para fazer compras, preparar o quarto para o bebé, etc.

4. Aprenda técnicas de relaxamento
Quando perceber que está se deixando levar pela ansiedade, use uma técnica de relaxamento que o ajude a se acalmar. Tente respirar devagar, sinta todo o seu corpo, deixe a mente em branco ...

5. Mude a maneira como você fala consigo mesmo
Observe a sua linguagem consigo mesmo e tente torná-la um pouco mais positiva. Remova do seu vocabulário expressões como "Não consigo", "A culpa é minha", "Sou inútil" e substitua-as por outras mais positivas, como "Vou continuar tentando", "Vou tomar medidas para que isso não aconteça novamente" ou "Vou continuar a melhorar".

6. Fique longe de pessoas tóxicas
No momento, os mais importantes são você e seu bebê, portanto, qualquer pessoa ou coisa que o afaste do seu bem-estar deve desaparecer da sua vida. Acabar com todos os relacionamentos tóxicos que você tem em sua vida e que só lhe trazem sofrimento.

7. Descansar
Um dos sintomas mais comuns durante a gravidez é a fadiga. E, quando estamos cansados, tendemos a ficar mais irritáveis. Então ... descanse! Não perca a hora de dormir para assistir televisão, brincar com seu celular ...

Se perceber que a ansiedade e o estresse o controlam, em vez de controlá-los, recomendamos que você vá a um especialista. Ele pode lhe dar as chaves para sinta-se melhor e aproveite mais de sua gravidez.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Os dados alarmantes de mulheres grávidas com menos de 25 anos com ansiedade e depressão, na categoria Depressão no local.


Vídeo: QUAL A DIFERENÇA ENTRE PÂNICO E ANSIEDADE? (Setembro 2021).