Lactância Materna

A compatibilidade entre ibuprofeno e amamentação


Depois do momento o parto E, dependendo de como está sendo, muitas mulheres podem sentir dores na região perineal. Esses desconfortos fazem com que muitos médicos recomendem que a mãe tome ibuprofeno para acalmar o desconforto, mas pode ser que estes, principalmente aqueles que optaram por amamentar, se oponham caso este medicamento possa afetar seu bebê. O ibuprofeno e a amamentação são compatíveis? Resolvemos suas dúvidas!

Como consequência do parto, podem ocorrer lacerações na região perineal que precisam ser suturadas ou, até mesmo, o ginecologista ou parteira às vezes tem que realizar uma episiotomia (corte feito na região para facilitar o parto do bebê em um determinado memento, mas isso não é feito por rotina). Esses traumas perineais costumam causar muita dor, principalmente quando os pontos estão secando, quando a mulher tenta dar sua primeira caminhada pelos corredores do hospital ou simplesmente quando se senta na cama para alimentar o filho.

Outros momentos complicados e também dolorosos podem ocorrer com o início da amamentação: rachaduras nos mamilos, mastites, ingurgitamento mamário ...

Tudo isso faz com que os médicos optem por administrar algum medicamento que permita à mãe aliviar essa dor, mas ela costuma relutar em tomar medicamentos. A preocupação mais frequente que aparece é que os medicamentos que ela ingere passem para o leite e, consequentemente, para o bebê.

Quando os instrumentos não farmacológicos para o alívio da dor não funcionam, recomenda-se o uso de medicamentos para eliminar o desconforto que o parto e a amamentação podem produzir, mas é claro que sempre devem ser prescritos por um profissional médico. É ele quem determina a dose, frequência e forma de administração. Não devemos esquecer as alergias a medicamentos! Se você é alérgico ou suspeita que seja, deve informar o seu médico antes de iniciar o tratamento.

Ele ibuprofano É uma droga que assume especial importância durante o puerpério. É um antiinflamatório não esteroidal, amplamente utilizado nesta nova fase da mulher e é indicado no tratamento de febre, dor e inflamação. Além disso, pode ser administrado por via oral e tópica, com frequência de 6 a 8 horas.

É importante observar que o ibuprofeno é um medicamento bastante seguro, tanto para a mãe quanto para o recém-nascido, desde que seja administrado à risca. No entanto, não foram observados problemas ou reações em mães que tomaram este antiinflamatório durante a amamentação.

Além disso, em muitos casos, é considerado o analgésico de escolha em mães que amamentam. Tem sido demonstrado que a dose que um lactente pode receber através da amamentação é mínima, sendo muito inferior à dose terapêutica necessária, portanto, conforme citado anteriormente. O ibuprofeno é um medicamento seguro durante a amamentação.

Portanto, é recomendável não tomar ibuprofeno com muita frequência. Devemos alternar com outros analgésicos como o paracetamol (que também não afeta a amamentação), pois tomá-lo ininterruptamente pode produzir efeitos adversos para a mãe. Entre as mais comuns estão as queixas gastrointestinais (azia, gastrite, náuseas ...) e distúrbios renais.

Quieto! É muito normal sentir-se mal nos primeiros dias após o parto, aos poucos você vai se sentindo melhor, só precisa de um tempo e confiar em si mesmo. Você acaba de iniciar uma aventura, a da maternidade, da qual ouviu ou leu muito, mas da qual só aprende no dia a dia.

Você pode ler mais artigos semelhantes a A compatibilidade entre ibuprofeno e amamentação, na categoria Amamentação Presencial.


Vídeo: AMAMENTAÇÃO - COMO O STRESS AFETA NA PRODUÇÃO DE LEITE. MACETES DE MÃE (Junho 2021).