Linguagem - Fonoaudiologia

Exercícios simples para crianças que pronunciam mal "r" e "ese"


Nas consultas de fonoaudiólogos, há dúvidas frequentemente repetidas pelos pais e até mesmo pelos professores: Por que há crianças que pronunciam mal "r" e "aquilo"? Por que esses sons podem apresentar dificuldades para os mais pequenos? Não é por acaso que esses dois sons são sempre os mais comuns em termos de erros de fala e os últimos a serem alcançados no repertório infantil. O motivo é o grande controle da língua que esses dois sons exigem.

Ao contrário de muitos outros sons em nosso repertório de fala (p, c, g, d, t, n, l, etc.), esses dois sons requerem um controle muito específico na ponta da língua. É algo muito preciso e maduro ao nível da mobilidade, posicionando a língua habilmente perto dos dentes e com maciez suficiente para deixar passar mais ou menos ar, vibrar obtendo o "erre" ou deixando o ar passar suavemente e fricção obtendo o "esse".

De casa, poderemos conhecer e identificar uma possível dificuldade nestes sons quando, aos 5 anos, ainda percebemos um destes três processos típicos de simplificação da fala dos mais pequenos:

- Omissão
Falta de som difícil de pronunciar. Exemplo no “erre”: rrosa -… osa. Exemplo no "ese": sopa - ... opa.

- Substituição
Troque o som difícil de pronunciar por um mais fácil. Exemplo no "erre": rrosa - gosa / laje / rosa ou no "ese": sopa - zopa / chopa / tsopa.

- Distorção
Abordagem do som, embora não seja perfeitamente claro.

Se de casa, mesmo aplicando os exercícios que vamos mostrar a seguir, as dificuldades persistem além de três meses desde o início da formação ou se observam frustração e consciência por parte das crianças, seria importante podermos nos colocar nas mãos de um fonoaudiólogo especialista em discurso.

A seguir, propomos seis dinâmicas importantes para fazer em casa. Sempre avisando que todas podem ser feitas em um contexto de jogo. Alguns deles são específicos para cada som, e outros podem ser úteis para ambos os sons, uma vez que "er" e "ese" têm características comuns.

1. Para treinar o som “r”, o seguinte é útil:

- Pedorretas
O peido pode ser um bom começo para as crianças experimentarem a manutenção de uma vibração semelhante a r, quando o som ainda não está saindo. Começaremos com os peidos labiais, já que costumam ser mais fáceis para eles e, posteriormente, na língua.

- Vibradores
O uso de utensílios vibratórios, como escova de dentes elétrica ou dispositivos de vibração facial específicos, também pode facilitar a imitação.

2. Para treinar o som “ese”, o seguinte é útil:

- Labirintos
Tocar para alongar o som (sssssss), ao invés de pronunciá-lo como um som curto, ajudará a estar ciente de suas características e ser capaz de controlar sua suavidade muito melhor.

- gravações
Muitas vezes, eles não estão cientes de como estão produzindo o som, pois esse som é normal para seus ouvidos. Gravá-los alongando o som ou em sílabas (sa, as, se, es, etc.) pode tornar mais fácil para eles que, ao ouvirem a si mesmos, possam estar mais conscientes de seus próprios erros.

3. Para treinar os dois sons, "erre" e "ese", são úteis:

- práxias linguais
Todas as praxias (movimento da língua, mandíbula ou lábios) que requerem treinamento proprioceptivo e da percepção da ponta da língua podem ajudar a facilitar a execução gradual do som.

- Tempo das palavras
Quando o som isolado aos poucos vai dando mais resultados, será o momento de buscar listas de palavras para poder treiná-las e generalizá-las em seu vocabulário usual, como o jogo do sapo.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Exercícios simples para crianças que pronunciam mal "r" e "ese", na categoria Idioma - Fonoaudiologia presencial.


Vídeo: MEDICINA INTERNA: Enfermedades Cerebro Vasculares (Junho 2021).